Artigos Mais Lidos

Starbucks Tem Melusina E Serra Negra, A Yara!

Arte

Artigo publicado originalmente no Jornal O Serrano, em 01º de outubro de 2021

Artigo publicado originalmente no Jornal O Serrano, em 01º de outubro de 2021
Henrique Vieira Filho. sua arte “Surreal Coffee” e o artigo publicado no jornal O Serrano

DOI: https://doi.org/10.5281/zenodo.5681879

Em comemoração ao aniversário de Serra Negra, pintei algumas telas homenageando a cidade, que fizeram parte da Exposição “Entre Molduras”, no Mercado Cultural

Cada obra tem sua história curiosa e vou lhes contar uma delas, em que uni duas paixões: surrealismo e café!

O que sinto mais falta quando estou fora do Brasil é beber um bom café!

Com muito esforço, até é possível encontrar, mas, ao preço de um rim e servido com conta-gotas (e esse é o “double”, pois o simples, mal suja o fundo da xícara…).

E, no meu caso, o café tem que ser aos baldes e moído na hora!

Espresso, com 9 bar de pressão e 90ºC na saída da água! 

O grão, do tipo arábico, da região Mogiana!

Sabe onde temos tudo isso? Aqui, em nossa Serra Negra!

Se for para invejarmos algo das cafeterias do exterior, seria o marketing: o mundo todo conhece Starbucks e sua “sereia de duas caudas”.

Segundo consta, o nome deriva de um dos marinheiros do romance “Moby Dick” e a imagem do logotipo foi extraída de um antigo entalhe esacandinavo, contendo aquilo que os fundadores da empresa imaginavam ser uma sereia… 

Ou seja, tudo remetendo ao mar, que é por onde o café chegava em Seattle.

A propaganda era “o aroma do café encanta as pessoas como o canto de uma sereia”…

Sucesso mundial, fato é que o símbolo foi sendo sutilizado e estilizado com o passar do tempo, já tendo sido considerado até erótico demais:

Ao que tudo indica, o entalhe de madeira (supõe-se que seja do século XV) retratava um ente mítico europeu, a Melusina.

Ela não é, exatamente, uma sereia, mas, sim, uma fada ou uma nixia (espírito aquático do folclore escandinavo).

Há inúmeras versões de sua lenda, sendo as características mais comuns, que suas pernas como duas caudas ou serpentes surjam apenas um dia da semana, ao qual faz seu marido (em certas variações, um rei…) jurar que jamais iria vê-la nessas ocasiões. A quebra da promessa resulta ora em vingança, ora em imensa tristeza e fuga.

Muitos brasões escandinavos e do Sacro Império Romano-Germânico ostentam Melusina com a coroa e poses guerreiras.

Mas, nada de ciúmes, pois aqui, no Circuito das Águas, temos também a nossa guerreira aquática tupiniquim, a Yara, que comanda as nossas fontes!

Por isso, eu a convidei para ser a musa do café mogiano em minha pintura!

E nada de celebridades “da moda” como George Clooney, não! 

Convenci o imortal Salvador a sair dali e vir aqui, ser nosso garoto propaganda!

E eis na foto que ilustra este artigo, o resultado final, em que vemos Yara e Salvador Dalí (que está aqui…), degustando um clássico cafezinho brasileiro, em plena Serra Negra!

Surreal_Coffee_Henrique_Vieira_Filho_Exposicao Entre Molduras - Mercado Cultural
Surreal_Coffee_Henrique_Vieira_Filho_Exposicao Entre Molduras – Mercado Cultural
Vídeo comemorativo do aniversário de Serra Negra

Cite as
HENRIQUE VIEIRA FILHO. (2021). Starbucks Tem Melusina E Serra Negra, A Yara!. Jornal O Serrano, CXIII(6274). https://doi.org/10.5281/zenodo.5681879

Henrique Vieira Filho e sua crônica para o Jornal O Serrano Previous post Do Vapor Viemos E Ao Café Voltaremos
Henrique Vieira Filho e seu artigo para o Jornal O Serrano Next post Serra Negra E A Cosmologia Kayapó

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *