Livro 101 Crônicas de Serra Negra

Ano Novo, Calendário Velho

Henrique Vieira Filho aborda para o Jornal O SERRANO (Nº 6287, Ano CXIV, de 14/01/2022) o artigo aborda a origem milenar dos calendários e o significado mitológico e político dos nomes de cada mês do ano.

Nosso calendário atual é povoado por deuses, imperadores e algarismos romanos!

O mês de Janeiro é dedicado ao deus Janus, protetor de todos os recomeços, representado com duas faces, uma voltada ao passado, outra, ao futuro.

“God Janus” – acrílico sobre tela

Fevereiro é o mês reservado às cerimônias de purificação e expiação denominadas Februa, em honra à divindade de igual nome.

Março é relativo a Marte, deus guerreiro. Como a primavera (hemisfério norte…) aflora no mês seguinte, o nome é Abril, que significa “abrir”, período que homenageia Vênus, Flora, Vesta e Ceres.

O mês de Maio possui variadas versões: ora deriva da deusa Maia, mãe de Mercúrio, ora pode originar de “aos Maiores” (Maius), ou seja, período dedicado aos mais velhos, aos antepassados.

Por sinal, esta versão corrobora a de que Junho (Iunius = jovens) fosse um período em homenagem aos jovens; outrossim, também pode ser atribuído à deusa romana Juno.

Os meses de Julho e Agosto homenageiam os imperadores romanos Júlio e Augusto, iniciando-se, a partir deste ponto, a nomeação sequencial numérica para os demais: Setembro (7), Outubro (8), Novembro (9) e Dezembro (10).

Na antiguidade, a passagem de ano era no solstício de inverno, após o qual, começa a declinar o frio, com todos alegrando-se por terem sobrevivido e que logo mais ocorrerá o início do calor, da abundância de recursos, do desabrochar da vida. 

Ou seja, o calendário mundial é coerente com o norte da Terra, porém, no Brasil, ainda estaremos no verão!

Calendário Maia na obra “Katrina Gioconda” – acrílico sobre tela

Modernamente, continuamos a celebrar, não mais pela sintonia coletiva com a natureza à nossa volta, e sim, por adaptações religiosas às datas festivas e pela pressão comercial que impõe a todos um calendário padrão.Ainda que sem sincronia perfeita com a natureza, que se registre meus sinceros votos de um feliz 2022 a todos os leitores!

  • Artigos
Henrique Vieira Filho Administrator

Henrique Vieira Filho é artista plástico, agente cultural (SNIIC: AG-207516), produtor cultural no Ponto de Cultura “Sociedade Das Artes” (SNIIC: SP-21915), diretor de arte, produtor audiovisual (ANCINE: 49361), escritor, jornalista (MTB 080467/SP), educador físico (CREF 040237-P/SP), terapeuta holístico (CRT 21001), professor de artes visuais e sociologia, pós-graduado em psicanálise e em perícia técnica sobre artes.

http://lattes.cnpq.br/2146716426132854

https://orcid.org/0000-0002-6719-2559

follow me